domingo, 30 de setembro de 2012

Pré-jogo: Corinthians x Sport

Teoricamente, o jogo é uma barbada: jogar em casa e enfrentar um time bastante frágil, que luta contra o rebaixamento, não deveria ser uma tarefa das mais difíceis. Só que na prática o jogo pode engrossar. Nas últimas temporadas o Corinthians teve bastante problemas contra as equipes da parte de baixo da tabela, especialmente no Pacaembu, onde os adversários entram em campo com 10 jogadores na defesa e buscando, com sorte, levar um pontinho para casa ou, com mais sorte ainda, achar um gol e nos derrotar.

Somado a isso, o fato de, sabe-se lá porque, o Sport levar vantagem contra a gente no retrospecto geral (13 vitórias deles contra 9 nossas).

De qualquer forma, o desafio maior é somar pontos, seja lá qual for o adversário, pra poder esquecer de vez esse campeonato e começar a se concentrar exclusivamente no Japão, em dezembro.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Títulos – Campeonato Paulista de 1954

No início dos anos 50, o Corinthians era o melhor time do Brasil e um dos melhores do mundo. Com craques como Cláudio, Luizinho, Baltazar e Gylmar somados a Deuses da Raça como Goiano e Idário, o Timão vivia aquela que é considerada a melhor fase de sua história, não superada e nem mesmo igualada até os dias de hoje.

Além de ter sido um time de craques, era um time de resultados, conquistando neste período três Torneios Rio-São Paulo (em 1950, 1953 e 1954), um bicampeonato paulista (1951-1952) e a Pequena Taça do Mundo na Venezuela, em 1953. E em 1954 o time teria a oportunidade de disputar o maior título de sua história até então: o Campeonato Paulista do IV Centenário.

A importância daquela disputa se justificava pelo aniversário de 400 anos da cidade de São Paulo, fundada em 1554. Assim, como era noticiado em todos os veículos de comunicação, o time que vencesse aquele torneio seria "campeão por um século". E todos os clubes paulistas se mobilizaram para conquistar tamanha honra.

Seguindo o mesmo esquema dos anos anteriores, o campeonato seria disputado no formato de pontos corridos, em turno e returno, mas apenas com 14 participantes, o que diminuiu o número de rodadas para 26.

O Corinthians, que já havia vencido outro Paulistão centenário – o de 1922, comemoração de um século da Independência do Brasil –, vinha entrosado e havia feito uma ótima preparação. Assim, largou na frente, liderando o campeonato desde as primeiras rodadas. Mas sempre tinha o rival Palmeiras em seu encalço. O clube alviverde teve contra o próprio Corinthians uma oportunidade de ouro para assumir a liderança do torneio na penúltima rodada do primeiro turno: o Palmeiras vencia por 2x0, mas a raça corinthiana permitiu uma virada espetacular, e a partida terminou 3x2 para o Corinthians.

Depois desse jogo, o Timão não largou mais a liderança. E quis o destino que o campeonato fosse decidido exatamente contra o Palmeiras, na penúltima rodada do segundo turno, já em 1955, no dia 6 de fevereiro. Ao Palmeiras, somente a vitória serviria para levar a decisão para a última rodada. Já ao Corinthians, um empate bastava para coroar o título por antecipação, e foi isso o que aconteceu. Com as equipes entrando no campo do Pacaembu para a decisão, ninguém pôde deixar de estranhar o uniforme do Palmeiras, que resolveu jogar de azul por indicação de um pai-de-santo – o que não adiantou nada. Com um gol do "Pequeno Polegar" Luizinho, de cabeça, o Corinthians abriu o placar, e mesmo com o empate palmeirense, o resultado final em 1x1 deu a taça para o Corinthians, que se sagrou campeão paulista pela 15ª vez em sua história.

Depois ainda houve a última rodada, na qual enfrentamos o São Paulo. Loucos para carimbar a nossa faixa, foram derrotados com folga, por 3x1. E assim a nossa festa estava completa.

O que ninguém imaginava é que essa conquista marcaria o início do jejum de títulos que duraria longos 23 anos e seria quebrado apenas em 1977. Mas, de qualquer maneira, o título foi comemorado de forma incomparável, e continua sendo comemorado até os dias de hoje. Porque o título de 1954 não foi ganho para se comemorar por um ano. Mas por um século.


Time-base: Gylmar (Cabeção); Homero e Alan (Olavo); Idário (Riveti), Goiano (Clóvis) e Roberto; Cláudio, Luizinho, Baltazar (Paulo) (Gatão), Rafael (Carbone) (Nardo) e Simão (Nonô). Técnico: Oswaldo Brandão.

Para ver uma lista com todos os títulos da história do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros títulos da história do Corinthians, clique aqui.
                  

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Pós-jogo: Botafogo 2x2 Corinthians

Na famosa falta de motivação que nos acompanha por todo o campeonato, o Corinthians empatou por 2x2 com o Botafogo no Rio de Janeiro. Com o resultado, ainda é distante a meta de 45 pontos traçada por Tite para o time não se preocupar com rebaixamento e começar a pensar exclusivamente no Mundial.

O craque Seedorf fez 1x0, viramos o jogo com gols de Guerrero (de cabeça) e Douglas (de pênalti, que não deveria ter sido marcado porque estávamos em impedimento), mas Seedorf fez mais um e acabou com a nossa festa.

Aos "Anti": sim, o juiz ajudou. Quem quiser falar de apito amigo, por favor explique o gol do Santos com o triplo impedimento algumas rodadas atrás.

Veja os gols no vídeo:

 

domingo, 23 de setembro de 2012

Pré-jogo: Botafogo x Corinthians

Mais uma rodada do Brasileirão se aproxima, e nosso adversário do domingo será o Botafogo, no Rio. Embora o clube carioca ainda tenha uma leve vantagem contra a gente no retrospecto geral, é um time que não provoca sentimentos muito exaltados nos corinthianos.

Historicamente, não ocorreram grandes partidas entre as duas equipes. As mais importantes não são nada marcantes: nos enfrentamos na fase de grupos da Libertadores 1996, fomos eliminados por eles na Copa do Brasil de 2000, demos o troco na edição de 2008 do torneio, e nos trombamos em diversos Brasileirões e Torneios Rio-São Paulo ao longo dos anos.

O curioso é que os visitantes costumam se dar bem no confronto. Nesse ano, perdemos em casa; no ano passado, ganhamos no Engenhão e perdemos no Pacaembu, e o mesmo aconteceu com certa frequência em partidas anteriores.

Levando-se em conta que eles brigam pelo G4 e nós estamos nesse campeonato a passeio, a pressão pela vitória é toda deles – o que pode nos ajudar. Mesmo que o jogo não valha muita coisa, eu parto do princípio de quero ver meu time ganhando QUALQUER jogo que fizer.

Além disso, estou sempre ligado no retrospecto geral: se a vantagem é nossa, tem que ganhar para mantê-la; se é do adversário, tem que ganhar pra revertê-la. Simples assim. Portanto, se o Corinthians quiser a soberania e não ter nenhum time com vantagem sobre si, são jogos despretensiosos como esse que podem fazer a diferença dentro de algum tempo.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Gols Históricos – Ronaldo contra o Palmeiras no Campeonato Paulista de 2009

Todo clássico contra o Palmeiras já tem a sua importância por si só. Porém, o disputado no dia 8 de março de 2009, pela 12ª rodada do Paulistão, seria o 1º com a presença de Ronaldo Fenômeno, um dos maiores jogadores de todos os tempos. Ele já havia estreado pelo Timão 4 dias antes, quando jogou alguns minutos pela Copa do Brasil na vitória do Corinthians sobre o Itumbiara. Contra o Palmeiras, Ronaldo novamente começou a partida no banco de reservas, e o que ninguém imaginava é que o Fenômeno entraria em campo pra decidir o jogo e fazer história, mais uma vez.

Substituindo o zagueiro Escudero, Ronaldo entrou no segundo tempo, quando a partida estava 1x0 para os rivais. No último lance do jogo, aos 47 do 2º tempo, após escanteio cobrado por Douglas, Ronaldo cabeceia e marca o gol de empate, o primeiro de muitos que faria com a camisa do Corinthians. A torcida vai ao delírio e o próprio jogador não segura a emoção, subindo no alambrado, que acabou quebrando, pra comemorar com a galera.

O gol, que acabou evitando a derrota corinthiana, fez com que o time seguisse sem perder nenhuma partida na competição e conquistasse na sequência o título invicto do torneio – o que não acontecia desde 1938.

Veja o gol no vídeo:

  
Para ver uma lista de gols históricos do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros gols históricos do Corinthians, clique aqui.
          

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Pós-jogo: Palmeiras 0x2 Corinthians

Missão cumprida: vitória no clássico, a terceira contra o Palmeiras no ano, com direito outro gol do iluminado Romarinho. De quebra, 3 pontos na tabela, afundando ainda mais o Palmeiras rumo à Série B, e diminuindo a vantagem que eles tem (por enquanto) no retrospecto geral. Agora temos só 2 vitórias a menos.

E pelo jeito Corinthians x Palmeiras no ano que vem, só pelo Paulista, ou no máximo na Libertadores. No Brasileirão, não. Em 2013, cada um em sua divisão...

Veja os gols no vídeo:

             

sábado, 15 de setembro de 2012

Pré-jogo: Palmeiras x Corinthians

Muitas vezes dissemos aqui que o Corinthians não tinha o mínimo de motivação nesse Campeonato Brasileiro, que precisou ter seu início sacrificado devido à Libertadores e terá seu fim igualmente deixado de lado com a preparação para o Mundial da FIFA.

Mas a motivação que procurávamos acabou de aparecer: nosso maior rival, o Palmeiras, está em uma situação horrorosa no torneio e tem tudo pra ser rebaixado outra vez. Assim, ajudar a afundar os caras é obrigação.

Não dá pra ter dó de rival. Se a situação fosse inversa eles não teriam, como não tiveram em 2007. E a gente sabe que, caso ganhem da gente no clássico, eles respiram no campeonato e ganham motivação pra tentar sair dessa situação. Alguém aqui quer isso?

É importante dizer que não se trata de se preocupar mais com rival do que com a gente mesmo. O que acontece é que temos a oportunidade de dar o troco em um time que já nos fez sofrer bastante. Há quem defenda a tese de que o Palmeiras tem que permanecer na Série A porque sem o clássico o campeonato vai ficar mais sem-graça, afirmação com a qual concordo. Mas também concordo que, já que 4 times têm que cair, o Palmeiras deve estar entre eles.

Mas, acima de tudo, temos que pensar em nós mesmos. Pro jogo de amanhã vale a mesma lógica de todos os outros: temos que fazer o nosso. Jogar direitinho, corrigir os erros e fechar o grupo pro Mundial. Porque mais importante que o Palmeiras bi-rebaixado é o Timão bi-campeão do mundo.
  

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Gols Históricos – Marcelinho contra o Santos no Campeonato Paulista de 1996

O jogo mesmo não valia muita coisa, e ninguém esperava um lance como aquele, que seria protagonizado por Marcelinho e entraria para a história. No dia 1º de fevereiro de 1996, pelo Campeonato Paulista, Marcelinho fez um gol inesquecível em um 2x2 contra o Santos, na Vila Belmiro, talvez o mais bonito que se tem registro na história corinthiana: o "Pé de Anjo" recebeu de Tupãzinho na entrada da área e, em apenas um toque, dominou a bola com o lado de fora do pé e aplicou um chapéu incrível no zagueiro santista. A bola caiu perfeitamente em seu pé, mais à frente, e ele emendou de primeira, sem deixar a bola cair: um chute seco, de chapa, no canto esquerdo do goleiro Edinho, pra fazer um golaço.

Marcelinho recebeu uma placa das mãos do Rei Pelé pelo feito.

Veja o gol no vídeo:

  
Para ver uma lista de gols históricos do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros gols históricos do Corinthians, clique aqui.
                                

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Pós-jogo: Corinthians 1x1 Ponte Preta

E a Ponte Preta se torna a grande pedra no sapato do Corinthians no ano. De novo não vencemos a Macaca, e só conseguimos empatar no finalzinho da partida, com Emerson Sheik.

É como disse o Jorge Henrique: a Ponte se comportou como time pequeno, jogando fechado na tentativa de levar pelo menos 1 ponto pra casa. Conseguiram.

Já sabemos que o Corinthians sempre tem dificuldades contra times muito defensivos. O que nos preocupa é o Chelsea, provável adversário corinthiano no Mundial da FIFA, em dezembro – time extremamente retranqueiro e que joga explorando os contra-ataques. Se uma Ponte Preta já dá trabalho, imagine o time inglês.

Veja os gols no vídeo:

  

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Pré-jogo: Corinthians x Ponte Preta

Hoje o Corinthians enfrentará a Ponte Preta pela 4º vez no ano.

Na última rodada da primeira fase do Paulistão, vitória corinthiana por 2x1 em Campinas. Logo na partida seguinte, nas quartas de final do torneio, a Ponte nos eliminou em pleno Pacaembu, de maneira vergonhosa: um 3x2 que soa estranho até hoje.

Dois meses depois, já pelo Brasileirão, nova vitória do time campineiro, por 1x0 – resultado que nos deixou provisoriamente na lanterna no campeonato.

Hoje, mais do que conquistar os 3 pontos, o Timão tem a obrigação moral de vencer os caras e reestabelecer a normalidade. Afinal, perder dessa forma pra eles já tá incomodando.
  

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Gols Históricos – Tupãzinho contra o São Paulo no Campeonato Brasileiro de 1990

Assim como o chorado gol de Basílio na quebra do jejum, em 1977, o gol do primeiro título brasileiro do Corinthians, no dia 16 de dezembro de 1990, só poderia mesmo ser sofrido. Aos 9 minutos do 2º tempo, após jogada pela direita de Fabinho, a bola ficou viva na pequena área são paulina, e o talismã Tupãzinho não pensou duas vezes: deu um carrinho, na raça, marcando o histórico gol de mais um título inédito.

Veja o gol no vídeo:

  
Para ver uma lista de gols históricos do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros gols históricos do Corinthians, clique aqui.
                                                          

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Gols Históricos – Paulinho contra o Vasco na Libertadores de 2012

Dia 23 de maio de 2012. Quartas-de-final da Libertadores. A tensão toma conta da Fiel. Após o 0x0 na partida de ida, em São Januário, o mesmo resultado se repete no Pacaembu – o que levaria a disputa para os pênaltis. Já tínhamos sido eliminados nos pênaltis duas vezes, em 1999 e 2000, e a gente ainda acreditava em um gol no tempo regulamentar.

E aos 42 do segundo tempo, após o goleiro Cássio ter operado um verdadeiro milagre em um chute de Diego Souza que nos eliminaria do torneio, Alex cobra escanteio pelo lado esquerdo e Paulinho faz de cabeça o gol da classificação para a semifinal do torneio: Corinthians 1x0 Vasco, abrindo caminho para o título inédito.

Em uma pesquisa no site oficial do Corinthians publicada em 1º de setembro de 2012, no nosso aniversário de 102 anos, esse gol foi eleito pela torcida o mais importante da história do clube.

Veja o gol no vídeo:

  
Para ver uma lista de gols históricos do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros gols históricos do Corinthians, clique aqui.
                            

domingo, 9 de setembro de 2012

Pós-jogo: Corinthians 3x1 Grêmio

Na noite de ontem o Corinthians bateu mais um dos favoritos ao título: o Grêmio, vencendo os gaúchos por 3x1 no Pacaembu.

Com a vitória, o Corinthians voltou à 9ª posição e tirou pontos de mais um time do G4, após ter derrotado o Atlético-MG e empatado com o Fluminense.

Veja os gols no vídeo:

  

sábado, 8 de setembro de 2012

Pré-jogo: Corinthians x Grêmio

A sequência complicada do Corinthians no campeonato ainda não acabou. Hoje tem pedreira, o Grêmio, que cresce a cada rodada do campeonato e tenta se aproveitar do mau momento do Atlético-MG pra encostar no topo da tabela.

Isso quer dizer que mais uma vez a gente entra como protagonista em uma partida na qual não temos tanto interesse assim. É bom se acostumar: pode ser adversário no G4 ou na zona de rebaixamento, todo mundo vai entrar em campo contra a gente pra tentar derrubar. Afinal, enfrentar o atual campeão da América é sempre uma motivação.
   

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Gols Históricos – Basílio contra a Ponte Preta no Campeonato Paulista de 1977

Para muitos, o título paulista de 1977 é o maior da história do Corinthians. Há quem diga que nem mesmo a tão sonhada Libertadores de 2012 ou os Mundiais da FIFA de 2000 e 2012 superam a importância dessa conquista. Assim, é justo que o gol desse título seja considerado o mais importante de nossa história, e seu autor, um eterno ídolo da Fiel.

Para entender a grandeza desse gol, marcado no dia 13 de outubro de 1977, basta a gente saber que ele estava entalado na garganta da torcida corinthiana há 23 anos e que só saiu aos 36 minutos do 2º tempo no 3º jogo da final, após um campeonato de 3 turnos, e num bate-rebate de um lance que precisou de 3 finalizações corinthianas até que a bola entrasse. Zé Maria cobrou uma falta na ponta direita, levantando a bola na área; Basílio resvalou de cabeça, e a bola sobrou para Vaguinho, que soltou uma bomba de pé esquerdo; a bola explodiu na trave e voltou para Wladimir, que cabeceou em cima do zagueiro Oscar; só então a bola voltou pra Basílio, que encheu o pé direito e marcou o inesquecível gol da quebra do jejum: 1x0, Corinthians campeão.

Com esse feito, Basílio ganhou o apelido de "Pé de Anjo", e virou herói corinthiano para sempre.

Veja o gol no vídeo:

  
Para ver uma lista de gols históricos do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros gols históricos do Corinthians, clique aqui.
         

Gols Históricos

A seguir, uma lista de gols históricos do Corinthians:

Luis Fabbi contra o Estrela Polar em 1910
Luizinho contra o Palmeiras no Campeonato Paulista de 1954
Paulo Borges contra o Santos no Campeonato Paulista de 1968
Flávio contra o Santos no Campeonato Paulista de 1968
Ruço contra o Fluminense no Campeonato Brasileiro de 1976
Basílio contra a Ponte Preta no Campeonato Paulista de 1977
Wladimir contra o Tiradentes-PI no Campeonato Brasileiro de 1983
Viola contra o Guarani no Campeonato Paulista de 1988
Wilson Mano contra o São Paulo no Campeonato Brasileiro de 1990
Tupãzinho contra o São Paulo no Campeonato Brasileiro de 1990
Neto contra o Flamengo no Campeonato Brasileiro de 1991
Neto contra o Guarani no Campeonato Paulista de 1992
Elivélton contra o Palmeiras no Campeonato Paulista de 1995
Marcelinho contra o Santos no Campeonato Paulista de 1996
Edílson contra o Real Madrid no Mundial de Clubes da FIFA de 2000
Ricardinho contra o Santos no Campeonato Paulista de 2001
Rogério contra o São Paulo no Torneio Rio-São Paulo de 2002
Betão contra o São Paulo no Campeonato Brasileiro de 2007
Ronaldo contra o Palmeiras no Campeonato Paulista de 2009
Cristian contra o São Paulo no Campeonato Paulista de 2009
Ronaldo contra o Santos no Campeonato Paulista de 2009
Dentinho contra o Santo André no Campeonato Paulista de 2010
Adriano contra o Atlético-MG no Campeonato Brasileiro de 2011
Liédson contra o Figueirense no Campeonato Brasileiro de 2011
Paulinho contra o Vasco na Libertadores de 2012
Romarinho contra o Boca Juniors na Libertadores de 2012
Emerson contra o Boca Juniors na Taça Libertadores de 2012 (primeiro gol)
Emerson contra o Boca Juniors na Taça Libertadores de 2012 (segundo gol)
Guerrero contra o Al Ahly no Mundial de Clubes da FIFA de 2012
Guerrero contra o Chelsea no Mundial de Clubes da FIFA de 2012
             

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Pós-jogo: Figueirense 1x0 Corinthians

Mais uma derrota no Brasileirão, dessa vez para o Figueirense, por 1x0. Só mesmo o Corinthians pra ganhar do líder e perder do lanterna...

Incrivelmente, foi nossa primeira derrota contra eles em Florianópolis na história do Campeonato Brasileiro: a gente já perdeu outras três vezes pra eles, mas todas em casa, e já tínhamos perdido em Florianópolis na Copa do Brasil de 2005.

E de novo a gente vem habilitando os "quase mortos" no campeonato: graças ao Corinthians, o Figueirense não é mais o lanterna. Tudo por causa de um gol ridículo sofrido na saída de bola do 2º tempo numa falha de marcação infantil. E o Fábio Santos já tinha tirado uma bola em cima da linha.

Agora é pensar no Grêmio, que vem com tudo pra cima da gente no Pacaembu. Eu poderia dizer que enfrentar um time que briga pelo título vai ser difícil, mas depois de perder pro ex-lanterna eu não tenho certeza de mais nada...

Veja o gol no vídeo:

  

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Pré-jogo: Figueirense x Corinthians

Hoje, mais uma vez, o Corinthians entra em campo como adversário de luxo em um jogo no qual não tem o mínimo interesse. E com vários desfalques: Cássio e Paulinho, na Seleção Brasileira; Ramirez e Guerrero, na Seleção Peruana; Jorge Henrique continua machucado; Emerson está suspenso pela expulsão contra o Atlético-MG; e Alessandro, Paulo André e Danilo serão poupados pelos técnico Tite, no que promete ser uma espécie de "rodízio" até o Mundial.

Assim, não seria surpresa ser derrotado contra o Figueirense na partida de hoje, ainda que o adversário seja o lanterna do campeonato e tenha uma chance quase nula de não ser rebaixado. Ser adversário de luxo é assim mesmo: derrotar a gente se torna fundamental pro adversário dar sequência no campeonato...
 

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Ídolos – Sócrates, o "Doutor"

Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira, nascido em Belém do Pará no dia 19 de fevereiro de 1954, foi um gênio do futebol. Com seu nome de filósofo e inteligência muito acima da média tanto dentro como fora das quatro linhas, o "Magrão" será eternamente lembrado pelos seus belíssimos gols e passes – especialmente o toque de calcanhar, sua marca registrada –, mas também por sua mente privilegiada, seu altíssimo nível de cultura e seu engajamento político.

Iniciou sua carreira no Botafogo de Ribeirão Preto, em 1974, clube pelo qual foi artilheiro do Campeonato Paulista de 1976, com 15 gols. Nesse perído, Sócrates conciliava a carreira de jogador e seus estudos na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, o que lhe rendeu o apelido "Doutor". Contratado pelo Corinthians em 1978, viveu no clube o auge de sua carreira. Foi campeão paulista em 1979 e nessa época já vestia a camisa da Seleção, com a qual disputou a Copa América em 1979 e 1983, o Mundialito em 1980 e a Copa do Mundo em 1982 e 1986. Embora não tenha conquistado nenhum título com a amarelinha, Sócrates sempre foi um dos principais jogadores da equipe não só pelo seu talento, mas também por sua liderança, sendo inclusive o capitão da Seleção de 82, que encantou o mundo na Copa da Espanha.

Mas foi no Corinthians que Sócrates deu mais alegrias à torcida, e um divisor de águas para isso foi a desastrosa campanha corinthiana no Paulistão de 1981, onde o 8º lugar classificou a equipe apenas para a Taça de Prata do Campeonato Brasileiro do ano seguinte. Nesse momento, ficou claro que as coisas tinham que mudar no Parque São Jorge, surgindo assim a Democracia Corinthiana, movimento liderado por Sócrates que consistia em decidir por meio de voto qualquer questão ligada ao funcionamento do clube. A democracia era real: todos tinham direito a voto, do técnico ao roupeiro, e a iniciativa é ainda mais inovadora por ter ocorrido em plena Ditadura Militar.

Os resultados não demorariam a aparecer: além de chegar à semifinal do Brasileirão de 1982, Sócrates liderou o time a mais um título paulista nesse mesmo ano, derrotando o São Paulo na final e marcando o gol da vitória na primeira partida da decisão. No ano seguinte, mais um título paulista, e novamente em cima do São Paulo. Dessa vez, Sócrates fez os gols do Corinthians nas duas partidas da final, e trouxe para o Parque São Jorge um bi-campeonato que não conquistávamos desde 1952.

Engajado, Sócrates também participou do movimento Diretas já!. Com propostas para se transferir ao futebol da Itália, ele prometeu que permaneceria no país se fosse aprovada a Emenda Constitucional Dante de Oliveira, que procurava pôr fim à Ditadura Militar e reinstaurar as eleições diretas para presidente no Brasil. Como isso não aconteceu, Sócrates, extremamente decepcionado, se transferiu para a Fiorentina, da Itália, onde jogou por pouco tempo. De volta ao Brasil, jogou pelo Flamengo e pelo Santos, disputou uma partida pelo Corinthian-Casuals, da Inglaterra, e encerrou sua carreira no time que o revelou, o Botafogo de Ribeirão Preto. Em 2004, aos 50 anos de idade, voltou à atividade a pedido de um amigo em uma partida pelo Garforth Town, time da oitava divisão da Inglaterra. Irmão do também jogador Raí, atuou posteriormente como articulista e comentarista esportivo, músico, ator e produtor teatral, além de técnico de futebol.

Sócrates faleceu em São Paulo, em 04 de dezembro de 2011, devido a problemas com o alcoolismo. Ele havia declarado que gostaria de morrer em um domingo e com o Corinthians campeão, e foi atendido: faleceu em um domingo, algumas horas antes do Corinthians entrar em campo contra o Palmeiras e vencer o seu 5º título brasileiro. Durante o minuto de silêncio, os jogadores corinthianos ergueram o punho em sua homenagem, do mesmo modo que o Doutor havia feito tantas vezes para comemorar seus gols, e foram seguidos pelos 30 mil torcedores corinthianos que assistiam à partida no Pacaembu e pelos 30 milhões ao redor do mundo.

Alguns dias depois de sua morte, foi lançado o filme Ser Campeão é Detalhe, documentário sobre a Democracia Corintiana. Outra homenagem foi feita no início do ano seguinte, em 18 de janeiro de 2012, quando disputou-se uma partida entre a Portuguesa (Campeã Brasileira de 2011 – Série B) e o Corinthians (Campeão Brasileiro de 2011 – Série A), na qual o vencedor (que acabou sendo a Portuguesa) ganharia o Troféu Sócrates. Em 28 de julho de 2012, o Corinthians inaugurou um busto em sua homenagem no Parque São Jorge, tornando Sócrates o 5º jogador a conseguir tal honra (os outros 4 são Neco, Cláudio, Luizinho e Baltazar). Ele é o 8º maior artilheiro da história do clube, com 172 gols.

Jogador consagrado, conquistou diversos prêmios individuais: ganhou a Bola de Prata da revista Placar em 1980 e foi eleito o craque do ano da revista Placar em 1982 e 1983, o 6º maior jogador da Copa do Mundo de 1982, o 5º melhor jogador do mundo pela revista World Soccer em 1982, o melhor jogador sul-americano do ano pelo jornal El Mundo em 1983, um dos 100 Craques do Século pela revista World Soccer em 1999 e um dos 100 Maiores das Copas pela CNN Sports em 2002, além do FIFA 100, em 2004, reconhecimento como um dos 100 maiores jogadores de todos os tempos.

Pelo Corinthians:

Jogos:
298

Gols:
172

Títulos:
Campeonato Paulista: 1979, 1982 e 1983
Taça Cidade de Porto Alegre: 1983

Para ver uma lista dos principais ídolos da história do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros ídolos da história do Corinthians, clique aqui.
       

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Pós-jogo: Corinthians 1x0 Atlético-MG

Nos últimos 2 anos, a gente ficou mal acostumado: disputamos o título brasileiro em 2010 até a última rodada, e ficamos entre os 3 primeiros; no ano passado, lideramos dois terços do campeonato, e ficamos com o título.

Em 2012, com a dedicação exclusiva à Libertadores durante o início do Brasileirão, a taça ficou distante. Sendo realistas, ela não vai vir. Não tem jeito.

Mas mesmo assim o Corinthians continua surpreendendo. Na tarde de ontem, vitória sobre o líder do campeonato, o Atlético-MG – que até então tinha perdido uma só. E a torcida também surpreende a cada dia: 33 mil pagantes, pra um time que começou a rodada na 12ª posição. Corinthians é assim.

Não há muito o que dizer sobre o jogo, apenas que nos comportamos bem taticamente, conseguindo parar um ataque que já havia marcado 35 gols em 19 jogos, e que a arbitragem foi uma piada. Horrorosa, pros dois lados, e todo mundo saiu de campo reclamando.

Paulo André fez o gol da vitória aos 17 do segundo tempo, de cabeça, após escanteio cobrado por Douglas.

Veja o gol no vídeo:

 

sábado, 1 de setembro de 2012

Pré-jogo: Corinthians x Atlético-MG

Enfrentar o líder do campeonato nunca é fácil, especialmente quando é uma equipe com quase 80% de aproveitamento e que ocupa a primeira posição do campeonato há 13 rodadas seguidas (e eles ainda têm um jogo a menos). Não interessa que o jogo é no Pacaembu. O Atlético é sim o favorito, e temos que admitir: a campanha dos caras é invejável.

Ao mesmo tempo, é engraçado o respeito que o Corinthians impõe. Sempre foi assim, e com o título da Libertadores a coisa ficou ainda mais séria. Já tem gente falando que esse jogo pode ser decisivo para o título, já que na rodada passada o Fluminense, outro favorito a levar a taça, empatou em casa com a gente. Como o título desse Brasileirão não vai ser nosso, os rivais enxergam o Timão como adversário de luxo, e 3 pontos contra a gente (ou mesmo 1) são vistos como diferencial mesmo em um campeonato com 38 rodadas e 114 pontos em jogo.

É o que as torcidas precisam entender: a grandeza de um time vai muito além do número de taças na sala de troféus. Embora a gente tenha um monte de conquistas, a importância do Corinthians não se resume a elas, e a postura dos adversários nesse momento é uma prova disso.

E olha que estamos na 12ª colocação. Imagina se a gente liderasse o campeonato.