quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Pós-jogo: Fluminense 1x1 Corinthians

Embora tenha começado bem a partida, o Corinthians deu aquela vacilada e desperdiçou a chance de trazer 3 pontos pra casa. DE NOVO.

Tá virando uma constante: já é a terceira vez seguida que o Corinthians abre o placar, mas não consegue a vitória. Pelo menos dessa vez, ao contrário das 2 rodadas anteriores, a gente não sofreu a virada. Tomamos apenas o empate, aos 37 do segundo tempo – o que deu muita raiva.

OK, eles brigam por título, e pra mim são inclusive favoritos à conquista desse Brasileirão. Mas vacilo atrás de vacilo cansa.

Veja os gols no vídeo:

 

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Pré-jogo: Fluminense x Corinthians

Seguindo uma dificílima sequência iniciada nas duas últimas rodadas, onde tivemos dois clássicos consecutivos (Santos e São Paulo), a partida de hoje é contra o vice-líder, o Fluminense, no Rio de Janeiro. Os cariocas têm um aproveitamento fantástico, especialmente jogando em casa: em 9 jogos, conseguiram 6 vitórias e 3 empates. Pois é, o Fluminense ainda não perdeu nesse campeonato jogando no Rio. E perderam uma só no Brasileirão inteiro.

O pior é que domingo vem mais pedreira: o líder, Atlético-MG.

Vamos ver o que dá pra conseguir hoje.
      

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Pós-jogo: Corinthians 1x2 São Paulo

Nosso começo foi arrasador: gol logo aos 5 minutos de jogo, e outras 4 chances claríssimas de marcar ainda nos primeiros minutos da partida. Já o São Paulo, que vinha sendo massacrado, conseguiu empatar e virar com 2 gols do Luís Fabiano, nos únicos 2 lances em que ele não entrou em impedimento. Pois é: eficiência ganha jogo. E pelo menos dessa vez foi na bola, e não no apito, como semana passada, contra o Santos.

Mas vamos ficar sossegados, porque a freguesia continua total: essa foi apenas a nossa derrota de número 90 contra eles no retrospecto geral, sendo que temos 113 vitórias (se eles iniciassem uma sequência de vitórias contra a gente, só igualariam nossos números em 2021...). Além disso, nos últimos 5 anos nós ganhamos 8 vezes e perdemos só 2. Ou seja, apesar de ninguém gostar de perder pra rival, é o tipo de partida que pouca diferença faz.

Veja os gols no vídeo:

     

domingo, 26 de agosto de 2012

Pré-jogo: Corinthians x São Paulo

Hoje é dia da última rodada do primeiro turno do Brasileirão: a rodada dos clássicos. Pra nós, corinthianos, clássico mesmo é contra o Palmeiras, então dá pra dizer que hoje faremos o "Clássico B" ou o "Mini-clássico", contra o São Paulo  embora a gente tenha que reconhecer que tanto dentro como fora das quatro linhas nossa rivalidade com o São Paulo cresceu muito nos últimos anos.

O jogo, mesmo, vale mais pra eles do que pra nós. Nós já estamos garantidos na Libertadores do ano que vem, e sabemos que o título desse Brasileirão é impossível. Já o São Paulo ainda tem a esperança de conseguir, no mínimo, uma vaguinha no G4. Assim, além dos 3 pontos, eles vêm com tudo contra a gente pra tentar ganhar moral no arranque para o segundo turno. Afinal, pra eles o jogo de hoje é clássico, e começar o segundo turno tendo ganho do maior rival deles seria uma grande vantagem psicológica.
       

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Títulos – Mundial de Clubes da Fifa de 2000

Embora o Mundial de Clubes da Fifa seja a maior honra que uma equipe pode conquistar, a edição de 2000 do torneio, vencida pelo Corinthians, é o título mais polêmico da história do clube. Isso porque o Corinthians é o único time na história a vencer o Mundial sem ter antes conquistado o torneio continental – no caso, a Libertadores.

Vamos entender essa situação.

No final da década de 1990, foi aprovada pela Fifa a ideia de realizar um torneio que realmente pudesse ser chamado de Mundial, ou seja, que envolvesse todos os continentes, e não apenas a Europa e a América do Sul, como acontecia na Copa Intercontinental (também conhecida como Mundial Interclubes ou Taça Toyota). Surgiu assim o Campeonato Mundial de Clubes, cuja primeira edição seria disputada no Brasil, e foi estabelecido que o último clube campeão brasileiro – no caso, o Corinthians – também participaria do torneio, como representante do país-sede.

Assim, tendo nossa vaga conquistada por direito (e não como clube convidado, como os "anti" adoram falar), partimos para a disputa do primeiro torneio mundial com o carimbo da Fifa, marcado para janeiro de 2000. Eram oito os participantes, divididos em dois grupos. Nós fomos sorteados no Grupo A e teríamos como adversários na primeira fase o Raja Casablanca, do Marrocos (campeão da Liga dos Campeões da CAF de 1999), o Al-Nassr, da Arábia Saudita (campeão da Supercopa da AFC de 1998), e o Real Madrid, da Espanha (campeão da Copa Intercontinental de 1998). O Grupo B contava com o Vasco da Gama (campeão da Libertadores de 1998), o Manchester United, da Inglaterra (campeão da Liga dos Campeões da Uefa de 1998-99), o Necaxa, do México (campeão da Liga dos Campeões da Concacaf de 1998-99), e o South Melbourne, da Austrália (campeão da Liga dos Campeões da OFC de 1998-99).

Essa é outra polêmica envolvendo a competição: os critérios utilizados pela Fifa na escolha dos participantes. Alguns times (Vasco, Al-Nassr e Real Madrid) não eram os campeões da última edição dos torneios que lhes deram as vagas, e sim da penúltima, e o próprio Corinthians foi convidado por ser o campeão brasileiro de 1998, e não de 1999, com a justificativa por parte da Fifa de que não haveria tempo para convidar o campeão brasileiro de 1999, conhecido em dezembro daquele ano, para disputar o Mundial apenas um mês depois. Mas, felizmente, o Corinthians foi o campeão brasileiro também em 1999, o que eliminou pelo menos uma das diversas polêmicas referentes à organização do torneio.

Outra reclamação dos rivais se refere ao fato de os times europeus (Real Madrid e Manchester United) teoricamente não terem demonstrado muito interesse no torneio, tendo inclusive enviado equipes mistas ao Brasil. Esta é uma meia verdade: embora o Manchester tenha deixado de lado a disputa da Copa da Inglaterra para se dedicar ao Mundial e o presidente da equipe inglesa ter declarado buscar a honra de ser o primeiro campeão do mundo, as equipes europeias nunca deram muita bola para nenhuma disputa com equipes que não fossem do seu continente, tanto que também não costumavam valorizar a Copa Intercontinental, por exemplo. Há também quem cite a declaração do lateral-esquerdo Roberto Carlos, do Real Madrid, que se referiu ao torneio como "Mundialito", mas, como o próprio jogador explicou posteriormente, não se tratava de uma forma depreciativa, e sim de um diminutivo bastante usado na Espanha – aliás, usado também para se referir à Copa Intercontinental.

Também é comum ouvirmos que aquele ano teve dois campeões mundiais – afinal, ao contrário do que aconteceria a partir de 2005 (quando o Mundial da Fifa substituiu a Copa Intercontinental, que deixou de existir), em 2000 realmente houve duas disputas: o torneio organizado pela Fifa, em que fomos os campeões, e a Copa Intercontinental, confronto anual entre os campeões da Libertadores e da Liga dos Campeões da Uefa, vencido pelo Boca Juniors. Quanto a isso, não há discussão: o mundial de verdade, com carimbo da Fifa, foi o nosso, doa a quem doer.

O fato é que nada disso era problema do Corinthians. Nosso time tinha que se preocupar em jogar bola e conquistar o título. E foi isso que aconteceu.


A campanha do Corinthians foi excelente: vitória por 2x0 sobre o Raja Casablanca, empate por 2x2 com o Real Madrid (jogo do histórico drible de Edílson entre as pernas de Karembeu), com direito a pênalti defendido pelo Dida, e nova vitória por 2x0, dessa vez sobre o Al-Nassr. Apenas o primeiro colocado de cada grupo avançaria, e conseguimos a vaga no saldo de gols, deixando o Real Madrid para trás, graças a mais uma polêmica: o gol de Fábio Luciano na primeira partida, lance validado pelo juiz apesar de a bola não ter ultrapassado a linha do gol.

Faríamos a grande final contra o Vasco, no Maracanã, no dia 14 de janeiro de 2000. Transmitido na TV aberta do Brasil apenas pela Band, o confronto bateria recordes de audiência: chegou a registrar 53 pontos, o mais alto índice jamais alcançado pela emissora. Quem assistiu viu uma partida equilibrada, em que o 0x0 insistiu em não sair do placar nem mesmo após a prorrogação.

Assim, o primeiro clube oficialmente campeão do mundo seria conhecido nos pênaltis. Rincón, Romário, Fernando Baiano, Alex Oliveira e Luizão acertaram suas cobranças. Dida defendeu o chute de Gilberto, e Edu fez 4-2 Corinthians. Se Viola perdesse, o Corinthians já seria campeão, mas ele marcou contra seu ex-clube. O próximo batedor seria Marcelinho, e o título estava nos pés do maior ídolo corinthiano, mas ele surpreendentemente chutou para fora. O último pênalti do Vasco seria cobrado por Edmundo, que nos tempos de jogador do Palmeiras havia sido um grande carrasco do Corinthians. Ele tinha a chance de empatar a série e levar a disputa para as cobranças alternadas, mas chutou para fora, rente à trave direita de Dida.

E o mundo era do Corinthians.


Time-base: Dida; Índio (Daniel), Adílson (João Carlos), Fábio Luciano e Kléber; Vampeta (Gilmar), Rincón, Ricardinho (Edu) e Marcelinho Carioca (Marcos Senna); Edílson (Fernando Baiano) e Luizão (Dinei). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Campeões:

1 - Dida
2 - Índio
3 - Adílson
4 - João Carlos
5 - Vampeta
6 - Kléber
7 - Marcelinho
8 - Rincón
9 - Luizão
10 - Edílson
11 - Ricardinho
12 - Maurício
13 - Daniel
14 - Márcio Costa
15 - Yamada
16 - Fábio Luciano
17 - Fernando Baiano
18 - Dinei
19 - Augusto
20 - Edu
21 - Marcos Senna
22 - Luis Mário
23 - Gilmar
Técnico - Oswaldo de Oliveira

Observação:
Edílson, o "Capetinha", levou a Bola de Ouro Adidas como o melhor jogador do torneio.

Para ver uma lista com todos os títulos da história do Corinthians, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros títulos da história do Corinthians, clique aqui.
                    

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Pós-jogo: Santos 3x2 Corinthians

Erros de arbitragem existem aos montes, beneficiando e prejudicando a todos. Faz parte do futebol, infelizmente. O problema é quando um auxiliar não levanta a bandeira em um lance onde aconteceram três toques impedidos em sequência. E pior: dando uma vitória de presente para o time da casa.

É como o Ronaldo escreveu em seu Twitter: "Alô, bandeira, por que você não registra a patente do Triplo Impedimento Carpado?"

Mas acontece, fazer o quê?

O que incomoda é que um mísero lateral invertido a favor do Corinthians vira a polêmica do ano e é usado como "prova" para os "Antis" de que o Corinthians é beneficiado pela arbitragem, pela CBF, pelo Papa, enfim. Por isso, um lance absurdo contra a gente não pode passar batido. É simplesmente uma questão de critério: o torcedor rival tem todo o direito de odiar o Corinthians o quanto quiser, mas tem também obrigação de analisar lances de todos os times a partir do mesmo critério, e reconhecer: fomos absurdamente prejudicados no jogo de ontem, em um lance bizarro.

Quanto à partida, dizer que jogamos pra ganhar, que tivemos qualidade para isso e que sairíamos da Vila Belmiro, na pior das hipóteses, com 1 pontinho, é para mim um motivo para se orgulhar. Ver o Neymar levar mais a sério um jogo contra a gente do que uma disputa de ouro olímpico, mais ainda. E saber que metemos 7x1 neles na raça, que tiramos eles da Libertadores na raça, mas perdemos uma simples rodada do Brasileirão para eles no apito... isso não tem preço.

Veja os gols (incluindo o bizarríssimo segundo gol deles, o do triplo impedimento) no vídeo:

             

domingo, 19 de agosto de 2012

Pré-jogo: Santos x Corinthians

Hoje voltamos à Vila Belmiro pela primeira vez após a partida histórica na Libertadores que nos deu vaga para a final inédita do torneio.

Mas o jogo desse domingo é pelo Brasileirão, e a história é outra: vale a reabilitação no campeonato para os rivais e a continuação de uma sequência positiva para a gente. Além disso, para eles será uma possibilidade de revanche pela eliminação no torneio sul-americano.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Pós-jogo: Corinthians 1x0 Internacional

Nos últimos anos, Corinthians e Internacional vêm sempre travando duelos tensos.

Na verdade a briga é antiga, graças àquela palhaçada que eles fizeram com a gente na final do Brasileirão de 1976, lá no Rio Grande do Sul, com direito a ameaça de envenenamento de água e comida e explosão de janela no hotel em que o Corinthians estava hospedado, envenenamento por inceticida no vestiário dos visitantes e maus-tratos sofridos pela torcida corinthiana até mesmo por parte da polícia gaúcha. Isso sem contar a violência absurda praticada dentro de campo pelos jogadores colorados, que contou com a conivência do árbitro José Roberto Wright – que inclusive anulou um gol legítimo do Corinthians quando o jogo ainda estava 0x0.

Mais recentemente, tivemos a polêmica do Brasileirão de 2005, com a Máfia do Apito e os jogos anulados e repetidos, o que fez com que a gente ganhasse o título e eles ficassem com o vice (e quem não se lembra da patética "volta olímplica" que eles fizeram depois do último jogo, por se acharem os verdadeiros campeões?). Tivémos também a final da Copa do Brasil de 2009, quando novamente acabamos com eles, na qual teve mais chororô: o tal do DVD com lances em que o Corinthians foi favorecido pela arbitragem (como se só rolasse com a gente).

A partida de ontem, como já se esperava, não foi das mais tranquilas. Jogo bruto, bordoadas de ambos os lados, e o juizão errando demais a favor deles (alguém vai querer fazer um DVD?). Mas o pior é que, com 7 desfalques, a gente não vinha bem. Até que o Douglas, que tava apagadinho, bateu uma falta com perfeição, na cabeça do Paulo André: Corinthians 1x0, o que bastou para a vitória e também para mantermos uma invencibilidade que já dura 10 jogos.

O lance que deu origem ao gol foi daquele jeito que já estamos acostumados quando se trata do Internacional: o jogador deles deu um BAITA TRANCO no Fábio Santos, que saiu voando – mas, mesmo assim, vários jogadores de vermelho saíram correndo pra cima do árbitro pra tirar satisfação, como se não tivesse sido falta. É, e depois não querem ser chamados de "Chororados"...

Veja o gol no vídeo:

                                   

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Pré-jogo: Corinthians x Internacional

Hoje à noite, no Pacaembu, o Timão terá como adversário o sempre difícil time do Internacional.

Ainda que a partida seja na nossa casa, o Inter vem bem melhor do que a gente no campeonato e tem um objetivo mais definido: garantir uma vaga na Libertadores do ano que vem.

Teremos Martínez como titular, o chinês Zizao no banco, e alguns desfalques: Emerson continua fora, e Jorge Henrique, que se machucou no treinamento, pode ficar até um mês em recuperação.

Em casa, vitória é obrigação. Mas que o jogo não é mole, não é.
       

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Pós-jogo: Coritiba 1x2 Corinthians

Foi do jeito que a Fiel gosta: vitória de virada, com gol aos 45 do segundo tempo (e que golaço!).

E o Romarinho continua mostrando que tem estrela: fez mais um gol no finalzinho, em uma jogada muito bem elaborada pelo argentino Martínez. O gol foi uma pintura, bastante parecido com o segundo contra o Palmeiras, na 6ª rodada do Brasileirão desse ano.

Com a vitória a gente nem subiu muito na tabela, mas deu uma aproximada nos rivais que estão na parte de cima. Vamos subindo!

Veja os gols no vídeo:

   

domingo, 12 de agosto de 2012

Pré-jogo: Coritiba x Corinthians

Há 3 jogos sem vencer, o Corinthians vai hoje até o Couto Pereira para enfrentar o Coritiba.

A equipe paranaense não vem bem no campeonato: no momento ocupa a 15ª posição, e perdeu 3 dos 7 jogos que fez em casa. Além disso, eles vêm de 2 derrotas consecutivas.

Partida importante para pegar embalo, já que o próximo adversário, na quinta-feira, é dos mais complicados: o Internacional, no Pacaembu.
             

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Pós-jogo: Corinthians 1x1 Atlético-GO

Desde o Brasileirão 2010, o Corinthians se especializou no estilo de jogo "Robin Hood", que consiste em tirar dos ricos para doar para os pobres. Ou seja: ganhar pontos nos jogos considerados difíceis (tipo ganhar do Grêmio no Olímpico, arrancar empate contra o Inter no Beira-Rio, vencer o Santos na Vila etc.), mas entregá-los de bandeja para times pequenos, em jogos que são mais moleza.

A partida de ontem é um belo exemplo disso.

Tá certo que, para o Atlético-GO, jogar contra o Corinthians no Pacaembu significa se defender ao máximo e tentar arrancar ao menos um ponto, mas nada justifica a sonolência corinthiana e a falta de criatividade do nosso time, que só acordou depois de tomar o gol. Aliás, um gol bizarro.

Pior: nada justifica o fato de termos, em 3 anos, uma vitória, um empate e uma derrota no Pacaembu contra o Atlético-GO, que com todo o respeito é um dos times mais toscos da Série A e tá morrendo de vontade de voltar pra B. Isso é imperdoável.

Que não vai rolar o hexa nesse ano, todo mundo sabe. Justamente por isso, tomara que esses apagões aconteçam só no Brasileirão. Imagina se isso rolar no Mundial...

Veja os gols no vídeo:

     

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Pré-jogo: Corinthians x Atlético-GO

Em uma partida onde a obrigação é vencer, hoje teremos o Atlético-GO, no Pacaembu.

Time na penúltima colocação do campeonato, com 22% de aproveitamento.

Mas que ganhou da gente na ida e na volta, em 2010 (o que, na opinião de muitos, custou o Brasileirão daquele ano).

Dá pra cravar uma goleada? Que seja, pelo menos, mais uma das nossas famosas goleadas de 1x0, daquelas que já estamos acostumados.
   

Corinthianos Famosos – Emerson Fittipaldi

Encerramos a série de corinthianos ilustres do automobilismo com o primeiro grande brasileiro na modalidade: Emerson Fittipaldi. Nascido em São Paulo, em 12 de dezembro de 1946, o corinthiano Emerson foi bicampeão da Fórmula 1, em 1972 e 1974, e campeão da Fórmula Indy em 1989, sendo o primeiro brasileiro a conquistar as duas categorias.

   
Para ver uma lista de corinthianos famosos, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros corinthianos famosos, clique aqui.
                

Corinthianos Famosos – Rubens Barrichello

Outro grande piloto que também torce para o Timão é Rubens Barrichello, que por tantos anos disputou a Fórmula 1 e hoje corre pela Indy. Rubinho nasceu em São Paulo, em 23 de maio de 1972.

    
Para ver uma lista de corinthianos famosos, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros corinthianos famosos, clique aqui.
                

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Corinthianos Famosos – Bruno Senna

O piloto Bruno Senna (Bruno Senna Lalli, nascido em São Paulo no dia 15 de outubro de 1983) não seguiu os passos do tio Ayrton Senna apenas na profissão. Ele também é torcedor corinthiano, e como não poderia deixar de ser, ostenta com orgulho o manto sagrado, como na foto abaixo:

   
Para ver uma lista de corinthianos famosos, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros corinthianos famosos, clique aqui.
                

Corinthianos Famosos – Ayrton Senna

Ayrton Senna (Ayrton Senna da Silva, nascido em São Paulo no dia 21 de março de 1960) é para muitos o maior piloto da história da Fórmula 1, e sem dúvida o maior ídolo da categoria em todos os tempos. Foi campeão da Fórmula 1 em 1988, 1990 e 1991.

Um gigante como ele não poderia ter escolhido melhor o seu time do coração. Havia até mesmo boatos de que ele corria com a camisa do Corinthians por baixo do macacão, mas a verdade é que Ayrton, conforme declarou no programa Roda Viva, em 1986, não era um fanático por futebol. Mas, de qualquer forma, ele não perdia uma oportunidade de demonstrar seu amor pelo clube, conforme visto na foto abaixo, em uma seção de fotos para a revista Contigo!.

      
Para ver uma lista de corinthianos famosos, clique aqui.

Para acessar os posts sobre outros corinthianos famosos, clique aqui.
                

Corinthianos Famosos

A seguir, uma lista de corinthianos famosos:

Adoniran Barbosa (músico)
Adriana Sant'anna (modelo)
Aílton Graça (ator)
Alan Fonteles (atleta)
Alessandra Negrini (atriz)
Alfinete (humorista)
Amácio Mazzaropi (ator)
Ana Paula Minerato (modelo e Musa do Corinthians)
Anderson Silva (lutador de MMA)
André Henning (jornalista e narrador)
André Kfouri (jornalista)
André Matos (cantor)
André Rizek (jornalista)
Antonio Fagundes (ator)
Aryane Steinkopf (modelo)
Astrid Fontenelle (apresentadora)
Ayrton Senna (piloto)
Badauí (músico)
Belutti (cantor)
Benjamin Back (jornalista)
Beto Hora (humorista)
Beto Lee (músico)
Bia Figueiredo (piloto)
Bob Burnquist (skatista)
Brunete Fraccaroli (arquiteta, empresária e socialite)
Bruno Senna (piloto)
Cacá Rosset (ator e diretor de teatro)
Caco Grandino (músico)
Caio Blat (ator)
Carlos Alberto da Silva (humorista)
Carol Belli (modelo)
Carol Francischini (modelo)
Carol Macedo (atriz)
Cascão
Cássio Politi (jornalista)
Cássio Reis (ator)
Cauê Moura (youtuber)
Celso Kinjô (jornalista)
Celso Portiolli (apresentador)
Celso Unzelte (jornalista)
César Tralli (jornalista)
Charles Gavin (músico)
Chico Lang (jornalista)
Cid (blogueiro)
Cida Marques (modelo)
Cláudia Raia (atriz e dançarina)
Criolo (músico)
Corinthians Mil Grau (youtuber)
Curumin (músico)
Daiane dos Santos (ginasta)
Dan Stulbach (ator)
Dani Bolina (modelo)
Daniel Dias (atleta)
Danielle Souza (modelo)
Danilo Gentili (apresentador e humorista)
Débora Menezes (jornalista)
Débora Nascimento (atriz)
Derico (músico)
Didi Wagner (apresentadora)
Diguinho (radialista)
Dinho (músico)
Domingos Montagner (ator)
Édgar Vivar, o Seu Barriga (ator)
Edson (músico)
Edu Falaschi (cantor)
Edu Guedes (chef de cozinha e apresentador)
Edu Ribeiro (músico)
Elis Regina (cantora)
Emerson Fittipaldi  (ex-piloto)
Eva Wilma (atriz)
Fábio Assunção (ator)
Fafá de Belém (cantora)
Felipe Solari (apresentador)
Fernanda Souza (atriz)
Fernando Henrique Cardoso (político)
Fiuk (ator e cantor)
Fofão (jogadora de vôlei)
Francisco Milani (ator)
Gabriel Godoy (ator)
Gabriel Medina (surfista)
Gabriela Duarte (atriz)
Gastão Moreira (apresentador)
Gee Rocha (músico)
Gerson Brenner (ator)
Gianfrancesco Guarnieri (ator)
Gretchen (cantora)
Henrique Fogaça (chef)
Heraldo Pereira (jornalista)
Heródoto Barbeiro (jornalista)
Hortência (ex-jogadora de basquete)
Hudson (músico)
Iberê Tenório (youtuber)
Ice Blue (músico)
Igão Underground (youtuber)
Jaime Oncins (ex-tenista)
Janeth (ex-jogadora de basquete)
Japinha (músico)
Jaque Khury (modelo)
Jorge (cantor)
José Luiz Datena (jornalista)
José Mojica Marins (cineasta)
Juarez Soares (jornalista)
Juca Kfouri (jornalista)
Juliana Baroni (atriz)
Júlio Rocha (ator)
Junior Cigano (lutador de MMA)
Kid Bengala (ator)
Klara Castanho (atriz)
Leandrinho (jogador de basquete)
Livia Andrade (modelo)
Louro José
Luan Santana (cantor)
Luciano (cantor)
Luciano Huck (apresentador)
Luiz Inácio Lula da Silva (político)
Luiza Possi (cantora)
Maguila (ex-lutador de boxe)
Maisa (apresentadora)
Maju Trindade (youtuber)
Mara Carvalho (atriz)
Mari (jogadora de vôlei)
Maria Cristina Poli (jornalista)
Marcelo Duarte (jornalista)
Marcelo Rossi (padre)
Marcelo Rubens Paiva (escritor)
Márcia Imperator (modelo)
Marcos Mion (apresentador e ator)
Marcelo Médici (ator)
Marta (jogadora de futebol)
Marília Gabriela (apresentadora)
Mauricio (ex-jogador de vôlei)
Mauro Naves (repórter)
Mc Gui (músico)
Milene Domingues (ex-jogadora de futebol)
Milton Leite (jornalista e locutor)
Mineirinho (surfista)
Ndee Naldinho (músico)
Negra Li (cantora)
Nelson Rubens (apresentador)
Netinho de Paula (cantor)
Núbia Óliiver (modelo)
Odilon Wagner (ator)
Osmar de Oliveira (médico e jornalista)
Paloma Tocci (jornalista)
Paolla Oliveira (atriz)
Paul Di'Anno (músico)
Paula Lima (cantora)
Paulão de Carvalho (cantor)
Paulo Calçade (jornalista)
Paulo Evaristo Arns (arcebispo)
Pe Lanza (músico)
Pedro Bassan (jornalista)
Pedro Leonardo (cantor)
Penélope Nova (apresentadora)
Péricles (cantor)
Rappin Hood (músico)
Rashid (músico)
Raul Gil (apresentador)
Regina Duarte (atriz)
Renata Banhara (modelo)
Renata Maranhão (jornalista)
Ricardo Confessori (músico)
Rita Guedes (atriz)
Rita Lee (cantora)
Rodrigão (jogador de vôlei)
Ronald Golias (comediante)
Ronny Kriwat (ator)
Rubens Barrichello (piloto)
Sabotage (músico)
Sabrina Boing Boing (modelo)
Sabrina Sato (modelo)
Sandro Dias (skatista)
Serginho (jogador de vôlei)
Serginho Groisman (apresentador)
Sergio Guizé (ator)
Sílvio Lancellotti (chef de cozinha e comentarista esportivo)
Sílvio Santos (apresentador)
Sônia Abrão (apresentadora)
Sônia Lima (atriz)
Sophia Abrahão (atriz)
Sula Miranda (cantora)
Suzana Alves (modelo)
Tati Minerato (modelo)
Thaila Ayala (atriz)
Thammy Miranda (repórter e atriz)
Thiaguinho (cantor)
Tom Zé (cantor)
Toquinho (cantor)
Vitão Guedes (jornalista)
Wagner Montes (jornalista)
Wallace (jogador de vôlei)
Wanessa Camargo (cantora)
Washington Olivetto (publicitário)
Xis (cantor)
Yudi Tamashiro (apresentador, cantor e dançarino)
Zina
     

Pós-jogo: Vasco 0x0 Corinthians

De um ano pra cá, sem dúvida, o grande rival do Corinthians tem sido o Vasco. Contra eles, disputamos o Brasileirão 2011 cabeça a cabeça por todo o segundo turno, e ainda nos enfrentamos nas quartas de final da Libertadores 2012, no confronto mais difícil que tivemos no torneio.

Também podemos dizer que, nesse período, o Corinthians é a grande pedra no sapato do Vasco. Na disputa pelo Brasileirão do ano passado, levamos a melhor e fomos campeões. Na Libertadores o mesmo aconteceu: eliminamos o time carioca em uma partida histórica, rumando para o título inédito. Quando o jogo é no Rio, a gente segura o empate; quando é no Pacaembu, a gente vence. Tem sido assim desde o ano passado, em uma sequência que já dura 5 jogos.

Ontem, aconteceu mais um empate em São Januário, por 0x0. Dois times muito semelhantes, que se defendem muito bem, mas que pouco criaram lá na frente.

O resultado acabou sendo razoável para o Timão, que não perde há 7 jogos, e conseguiu 13 dos últimos 21 pontos disputados (3 vitórias e 4 empates), uma média até que boa.

Veja os melhores momentos no vídeo: